Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2008

Por favor, leiam o livro Repintando a Igreja, de Rob Bell, Ed Vida. (Abaixo recortes do seu livro)

Durante centenas de anos, os seguidores de Jesus, assim como os artistas, entenderam que é preciso prosseguir, estudando meios de vier em harmonia com Deus e uns com os outros. A tradição da fé cristã é cheia de mudanças, crescimento e transformação. Jesus teve parte nesse processo, levando as pessoas a repensar a fé, a Bíblia, o amor, a esperança, tudo enfim, e convidando-as a tomar parte em um processo infindável de prática de vida, de viver da maneira que Deus planejou que vivêssemos.
O desafio para os cristão é, então, viver com paixão e convicção sem medida, permanecendo abertos e flexíveis, conscientes de que esta vida não é o quadro definitivo.
Os tempos mudam. Deus não muda, mas o tempo, sim. Nós aprendemos e crescemos, o mundo a nossa volta muda, e a fé cristão é viva apenas quando é ouvida, retocada, inovada, quando abandona tudo que atrapalhas no caminho de Jesus e adota tudo quanto nos ajudará a ser cada vez mais o povo que Deus quer que sejamos.
Há inúmeros exemplos desse pr…

NATAL: DEUS PARINDO INCLUSÃO

A grande dádiva da Encarnação é a inclusão. Em Jesus ninguém é esquecido, depreciado ou excluído. Em Cristo pessoas de todo credo, cor, nação, gênero e idade são bem vindas. No Emanuel ninguém fica sem Deus. No Deus encarnado ninguém fica sem o “presente” do amor. Deus veio para todos e não apenas para uma parte; Deus se encarnou para que todos tenham vez e dignidade. “Deus amou o mundo de tal maneira...”.

A boa notícia da Encarnação é que todos, sem exceção, são filhos queridos de Deus. A Encarnação deslegitima todo movimento/instituição que tenta convencer a um homem/ mulher que estão com a vida atrapalhada que eles precisam fazer rituais (geralmente incluindo dinheiro!) para serem amados de Deus; a Encarnação lembra àquele (a) que se deixou convencer por alguém ou por uma religião que é persona non grata que Deus lhe quer muito bem. A Encarnação lembra que Deus não é de um grupo seleto.

A vida toda de Cristo, do nascimento à ressurreição, é esse anúncio maravilhosamente escancarado q…

Uma citação de Henri de Lubac

"Nos últimos séculos, assistimos à 'evaporação reacionalista de Deus'. Mas era o Deus dos racionalistas. Soprai, e dissipai esse vapor. Isso não vai nos abalar. Nós respiraremos mais à vontade. O Deus verdadeiro, aquele que nós não cessamos de adorar, está alhures. Ele está em toda parte onde vós credes acançá-lo; Ele está em toda parte onde vós não o alcançais."

Uma versão do Gênesis

No princípio era um Arraial
Com folguedo e arrasta pé
A Trindade brincou de ciranda a noite toda
Ao som do frevo, samba e afoxé
E ouviu Deus que tudo era muito bom...

No Tempo do Mistério – parir da Luz
Viu Deus que o amor queria rodar
Convidou outros pares para o festejo
Homens, mulheres e crianças com suas piruetas
E Deus viu que era bom demais...

Atrás da Eternidade, na fecundação do vento
Era um banquete com uma mesa larga
Os brincantes de todos os gêneros eram bem vindos
A cena era o sorriso do Pai
Disse Deus com deleite: “gosto disso!”.

No inicio Deus sugeriu um brinde:
Ao Belo, minha subversiva Revelação!
À Amizade, nós somos Comunidade!
À Tolerância, meu Nome é Inclusão!

Deus é Papai!

Certa vez um dos discípulos se aproximou do Mestre e pediu “Senhor, ensina-nos a orar”. Jesus fez a oração conhecida de todos nós – a oração do “Pai Nosso” que, mais do que uma oração a ser repetida, é uma consciência de ser diante de Deus. Esse jeito de ser diante de Deus nos revela muitas verdades das quais gostaria de compartilhar uma.
A oração de Jesus nos traz o discernimento que o Deus Criador é o Abba (literalmente, papai). No dialeto sírio ocidental do aramaico, Abba é o nome dado pela criança ao seu pai na intimidade do lar. A palavra mais fácil para uma criança articular, balbuciar.
Esse é o escândalo do Evangelho. O Deus dos hebreus, da Revelação terrível no Monte Sinai, o Senhor dos Exércitos, o Rei adorado nos céus por anjos é o nosso Papai. O Deus de nome impronunciável do Antigo Testamento (YHWH) cabe na boca de uma criança. Ninguém antes de Jesus usou essa palavra para se dirigir a Deus. Em outras orações Cristo vai usar esta mesma palavra que foi traduzida para nós como…

Qual Deus? (Jean-Yves Leloup)

O que eu digo quando digo “Deus”? Cada palavra nos remete a uma experiência; trata-se de qual experiência? A experiência de Abraão? De Moisés? De Jesus?...
Não se fala de Deus em lugar algum da Bíblia. Evocamos com pudor, às vezes com temor, YHWH, o Tetragrama impronuniciável que designa essa realidade, para além e para o interior dos universos, esse “Nada” do Tudo cuja Causa é Ele... Para Moisés, é um “Eu Sou”: a afirmação de uma presença, não nascida, não feita, não criada, no coração daquilo que é feito, nascido, criado, composto. Sua realidade é inconcebível e seu Nome, impronunciável. No entanto, se fizermos a experiência do nosso nada após um abandono (não ser mais nada pra alguém) ou um acidente, nós poderemos nos interrogar sobre “o Ser que nos faz ser”, que permite que participemos durante algum tempo da Vida e do seu Sopro, já que a nossa vida só depende de um sopro...
Se Deus não é para nós uma experiência, uma liberdade no coração de nossos condicionamentos, uma leve brisa n…

Gestar

Que alegria maior que a vida?
A vida é aqui perto. É agora. A vida é viver!
A mesa com amigos e vinho
Um café e um livro
A canção acolhida
Um cheiro rememorando
Sentir-se agradecido
O encontro de camaradas que festejam o Criador
A oração balbuciada, gemida, silente...
O tempo da criatividade e da imaginação
A vida é a liberdade
As escolhas e suas responsabilidades
A aposta nas idéias
A aventura de arriscar
É “soltar a corda” – deixa viver!
A vida é o trabalho e o shabat
A ebulição de sentimentos paradoxais
As casas de luto durante o caminho
O dia mal inevitável
O indesejado sofrimento
As interpretações suas, minhas, dele
O ser querido ou preterido
Queixas e perdões...
Os corpos exaustos dos amantes após o amor
É criar com o Divino
A mulher e o homem gestando outra vida
É o Théo chegando, gente
O Márcio, a Déia e o Igor contentes
Que a Terra ganha mais um brincante
Confesso que estou vivendo!

Ontem ficamos sabendo o sexo do nosso bebê e já batizamos: Théo (4 meses). 01/10/08

A ORAÇÃO QUE NÃO PODE CALAR

Esses dias li num livro um diálogo de um romance de Pedro Bloch que me chamou a atenção:

- Você reza a Deus, menino?
- Sim, toda noite.
- E o que lhe pede?
- Nada. Só lhe pergunto se posso ajudar em alguma coisa.

Eis aqui uma boa oração que precisamos fazer!
Com muita freqüência a nossa oração reflete uma espiritualidade ensimesmada, egoísta e displicente. Uma oração que não contempla a necessidade do outro, não se coloca a serviço de Deus e que só repete “me dá, me dá, me dá!”.
Muitos fazem suas orações de petições como se Deus já não tivesse se envolvido totalmente com a humanidade; como se o Criador não tivesse começado a sua obra, como se Ele não estivesse promovendo a salvação e presente todos os dias entre nós.
As orações de muitos evangélicos mais parecem uma tentativa de lembrar a Deus do bem que Ele deve fazer (e aqui a imagem é ridícula!) do que uma conversa de alguém realmente grato com o Promotor da Vida; um dedo de prosa de quem confia no amor divino com o Grande Amável; um diálo…

GRAÇA: UM JEITO GOSTOSO DE VIVER!

Certo dia Simão recebe em sua casa Jesus e seus discípulos, Lázaro e suas irmãs. Eles chegam com os pés empoeirados, os rostos desidratados e cansados da caminhada. Seis dias antes da Páscoa o clima era tenso e reticente. Jesus já havia anunciado a sua morte. Subitamente entra na cena Maria que quebra um frasco de perfume e dá um banho em Jesus da cabeça aos pés! A macharada fica indignada pelo desperdício!
Maria quebra a rotina sisuda com um gesto de graça. Esta mulher adora para além do culto, da fala, da música. Ela ama para além das palavras: ela ama com gestos!
Eu enxergo nesta cena muito mais do que um ritual, do que uma prática dos antigos para receber seus convidados: óleo na cabeça, lavagem dos pés... Para mim Maria (da Graça) deu um banho de afeto em Jesus num momento muito delicado de sua vida!

MARIA ENXERGA NO MESSIAS UM ALVO DA GRAÇA
E NÃO O MESSIAS PARA UMA FUNÇÃO!
A palavra Messias carrega todo o peso de uma função, da tarefa, da missão de Jesus. Ele é o Ungido de Deus que t…

Comunidade de Amigos

A idéia de Jesus nunca foi criar uma religião organizada. Jesus não tinha em mente plantar uma igreja com uma placa denominacional e nem (pasmem alguns!) criar o Cristianismo. Aliás, Jesus nasceu judeu com direito a rituais judaicos e morreu judeu.
Se fosse assim, eu penso que Jesus teria agido de maneira diferente nos seus últimos encontros com os discípulos antes de subir para o Pai. Teria dado mil recomendações, métodos e dogmas.
Os profissionais da publicidade devem ter se indignado com Jesus porque se ele queria “dar certo” deveria ter agido de outra maneira!
Um marketeiro diria que se Jesus quisesse “vender sua imagem” deveria ter se apresentado ressurreto no templo, por exemplo, e não a um grupo de pescadores frustrados numa praia.
Um publicitário teria pedido a Jesus pelo menos um slogan, uma frase de efeito ou o nome da igreja, além da nobre comissão “... ide por todo mundo ensinando a obedecer a tudo que eu vos tenho ordenado”.
Os teólogos de plantão queriam uma teologia sistemát…

Bruno Forte citando Agostinho em seu livro "A porta da beleza"

O que amo quando Te amo? Não a beleza corporal, a formosura da idade, nem o fulgor da luz, tão caro a meus olhos, nem as doces melodias de cânticos de todos os tipos, nem a fragrância das flores, dos perfumes, dos aromas; nem o maná ou o mel, nem os membros tão susceptíveis aos abraços da carne. Não é isso que amo quando amo meu Deus. Amo, no entanto, em certo sentido a luz, o som, perfume, alimento, abraço de meu homem interior que mora em mim; onde refulge em minha alma uma luz que não tem limites de espaço, um espaço que não desaparece no tempo, um perfume que o vento não espalha, um sabor que o apetite não diminui, um abraço que a saciedade não desfaz. Tudo isso amo, quando amo a meu Deus. E o que é tudo isto? Perguntei à Terra e ela me respondeu: "Não sou eu". E todas as coisas que nela existem declararam o mesmo. Interroguei os mares e suas profundezas, os seres vivos que aí se movem, e responderam: "Não somos teu Deus. Procura mais acima de nós!" Disse então…

Citação de Mia Couto

... a minha mulher, passa a vida falando com Deus. E eu vou ficando calado. Mesmo aos domingos de manhã: fico calado. Assim, silencioso, vou rezando. Que a gente reza melhor é quando nem sabemos que estamos a rezar. O silêncio, doutor: O silêncio é a língua de Deus.

Dito Mariano (personagem do romance)

Trecho de Humano, Demasiado Humano de Nietzsche.

A linguagem como suposta ciência. – a importância da linguagem para o desenvolvimento da cultura está em que nela o homem estabeleceu um mundo próprio ao lado do outro, um lugar que ele considerou firme o bastante para, a partir dele, tirar dos eixos o mundo restante e se tornar seu senhor. Na medida em que por muito tempo acreditou nos conceitos e nomes de coisas como em verdades eternas, o homem adquiriu esse orgulho com que se ergueu acima do animal: pensou ter realmente na linguagem o conhecimento do mundo. O criador da linguagem não foi modesto a ponto de crer que dava às coisas apenas denominações, ele imaginou, isto sim, exprimir com as palavras o supremo saber sobre as coisas; de fato, a linguagem é a primeira etapa no esforço da ciência. Da crençana verdade encontrada fluíram, aqui também, as mais poderosas fontes de energia. Muito depois – somente agora – os homens começaram a ver que, em sua crença na linguagem, propagaram um erro monstruoso. Felizmente é tarde demais para …

O Vinho de Deus (canção inspirada no texto abaixo)

Cristo, o autor da vida
Vida boa e abundante
Faz valer à pena
Cada dia, cada instante

Banca o nosso vinho
Que renova a esperança
E a festa se prolonga
Para o amor, o brinde e a dança

O seu banquete é farto
E todos são bem vindos
O chef sugeriu:
Viver é o melhor prato!

E o vinho é por conta da Casa!

Nossa alegria é o vinho de Deus
Multiplicado, novo e bom
A sua graça é o nosso alento
E o nosso sorriso

Nossa folia é festa nos céus
O nosso vinho é o riso de Deus
Nossa união é sua aposta
E a sua glória

Salvação é um grande banquete oferecido por Deus onde todos são bem vindo e o melhor prato é viver!

Desde o princípio as Escrituras nos mostram um Deus que promove a vida! Não somente a vida que somente existe (nesse caso seríamos “cadáveres adiados que procriam”, para citar Fernando Pessoa). Mas a vida bem vivida!
A Trindade num insight medonho cria todas as coisas, contempla a criação com reverência e se deleita com um refrão que se repete: “muito bom!”. O Jardim do Éden é palco para a festa dos céus e o homem e a mulher, o objeto de todo o amor de Deus!
Muitos religiosos enxergam em Deus um estraga prazer, alguém que boicota a festa, o prazer, a gargalhada! Ensinaram para nós uma vida castrada cheia de “nãos” ao ponto de muitas vezes o indivíduo ter medo de que a simples lembrança de Deus atrapalhe seu tempo de entretenimento. Fizeram uma caricatura mais sem graça do Autor da Vida!
Porém Jesus Cristo, que nos socorre das caricaturas de Deus, pode nos ajudar mais uma vez!
Olho para o episódio do casamento em Caná da Galiléia e enxergo ali mais que o milagre de transformar água em vinh…

Todo aquele que faz a vontade do Pai é irmão de Jesus! (Mateus 12.50)

(...) alguém pode considerar-se explicitamente ateu e, contudo, ser implicitamente crente; e vice-versa: um crente explícito pode ser um ateu implícito. Que significa isto? Positivamente, uma idéia muito corrente e simples: pode haver pessoas que em sua convicção teórica neguem a Deus, mas que em sua vida, em suas atitudes e em sua conduta, o estejam afirmando. E, ao contrário, pode haver pessoas que confessem Deus com os lábios, mas que o negam com sua vida real.
Uma idéia que, aliás, não tem nada de novo: "Nem todo o que diz: 'Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus", já diz o Evangelho de Mateus (7.21) (...) Mais do que negar Deus, o que muita gente nega é uma idéia de Deus... Mas isto não significa que muitas vezes, na hora de viver, de situar-se fundo diante dos outros e de construir decisivamente a sua existência, não esteja respondendo ao chamado profundo de seu ser e, nesse chamado, a esse Deus que em teoria se vê levado a negar (...). Portanto, uma pessoa que n…

Música mais recente!

Pai de todos

Pai nosso, Pai de todos
Elevado além das nuvens
Mas inscrito na história
Aquém da glória
Amaste muito
Descendo à terra
Dando a vida
Suor e sangue
A toda gente

Nós teus filhos, parte dos filhos
Pois são todos teus queridos,
Estendemos nossos braços
À tua graça
Que é sem barganha
Ao excluído
E humilhado
A toda a gente a quem amaste

Recorte de Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski.

- Piedade! Por que ter piedade de mim? – berrou de súbito Marmieládov, levantando-se de braço estirado para a frente, com uma inspiração firme, como se estivesse apenas esperando tais palavras. – Porque piedade? perguntas tu. Sim! Não há por que ter piedade de mim! O que é preciso é me crucificar, me pendurar numa cruz, e não ter piedade! Mas crucifica, juiz, crucifica, e depois de crucificar tem piedade dele! E então eu mesmo te procurarei para ser crucificado, pois não é de alegria que tenho sede, mas de tristeza e lágrimas!... Pensas tu, vendeiro, que essa tua meia garrafa me trouxe prazer? Tristeza, foi tristeza que procurei no seu fundo, tristeza e lágrimas, e as provei, e encontrei; terá piedade de nós aquele que teve piedade de todos e que a todos e tudo compreendeu, Ele é o único e também o juiz Ele voltará no dia do juízo e perguntará: “Onde está a filha [prostituta] que se sacrificou por uma madrasta má e tísica, por crianças estranhas e pequenas? Onde está a filha que teve …