Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2012

Minhas invenções

Eu sou todas as minhas invenções.Tudo o que crio e o que pensotem o meu desejo e suor.Eu sou as minhas dúvidase as minhas verdadesos meus credos e preconceitos.As minhas angústias, soluços, calafrioos meus bosques misteriosos,os meus rios turvosos outonos boa parte do ano,tudo sou eu.Eu sou a minha metafísica e a minha imanênciao meu medo da morte e a minha reinvenção.Eu sou os meus amores e paixões.Eu sou a doença que inventeios remédios que tomeios livros que li.Eu sou a invenção de mim e a sua projeção.Minha visão de mundo eu mesmo fizcom o que recolhi do Universo.E só recolhi do Universoaquilo que já era eu.Eu sou a fome de mima liberdade e a reticência...
Está tudo em casa!
Márcio Cardoso

Dilatação

Eu sou tantos dentro de mim que quase me explodoEu só me caiboGraças ao meu coeficiente de dilataçãoMesmo assim, quando eu me dilato,Uma outra possibilidade de mim se impõeQuando o meu corpo esfriaEste quase eu, que se esboçava, Para não escapar pelos meus porosSe divide entre os outrosAlterando a sua substânciaE nessa dinâmicaCada vez que eu me divido eu me multiplico.Márcio Cardoso

O Escrevente

Eu sou quem me habitaE também quem é habitadoEu sou aquele que me observaE também quem é observadoPelo lado de dentro e pelo lado de foraEu sou o que tem ideias mais nobresE aquele que pensa vilezasEu sou aquele que censurou uma açãoE aquele que permitiu o indesejadoEu sou todo humanoEu sou aquele que ainda não virou palavrasOs pensamentos que nem sequer ousei dar linguagemEu sou essa entidadeE o que escreve a seu respeito.

Observador

Não gosto de ser vigiadoEsse sujeito, que sou eu mesmo,Passa o dia inteiro me observandoComo que fiscalizando minhas açõesCondenando meus pecadosE censurando os meus arroubosQuando olho para ele me desconcentroQuando flagro o seu olhar ele someEle vive de me ver, ele se alimenta de mimE eu dele. Márcio Cardoso

“Pois nele vivemos, nos movemos e existimos.”

Em muitos arraiais religiosos eu percebo com pesar um esforço olímpico para que Deus se faça presente, se manifeste, mostre a Sua glória, como se Deus estivesse na tangência da Terra esperando o momento para entrar em cena!Deus não precisa ser invocado para se fazer presente. Deus a tudo e a todos envolve, em tudo e em todos transparece, de tudo e de todos emerge. Os teólogos dizem que é Ele é onipresente. Deus está totalmente envolvido com a história humana desde o seu nascedouro. Deus não está à parte do mundo, do lado de lá, distante. Convocar um Deus que é Todo-Presença é, no mínimo, contraditório.Deus está conosco, seu nome é Emanuel. Sua presença se dá de forma modesta, velada e silenciosa. Como o ar que respiramos sem nos darmos conta, Deus é o nosso fôlego; como o sol, que desde o horizonte clareia o meu quarto sem que eu esteja olhando para ele, Deus me renova; como a raiz que nutre a árvore, assim é Deus - a seiva da vida. A presença de Deus é a causa da nossa existência; só…

MÁSCARA, QUEM NÃO TEM?

O uso de máscaras não é uma prática exclusiva no período do carnaval. Todos nós usamos máscaras o ano inteiro. Quero dizer: dependendo dos momentos e ambientes, temos maneiras diferentes de nos comportar. Usar máscaras é uma prática comum daquele que aprendeu a polidez. Meu comportamento numa cerimônia de casamento é um, meu comportamento em casa é outro completamente diferente; minha postura num velório não é a mesma da minha postura num aniversário. Não, isso não é esquizofrenia, mas sim polidez.O problema é quando eu uso uma máscara não porque o ambiente me sugere um comportamento, mas porque eu quero de alguma maneira tirar vantagens. Uma coisa, por exemplo, é usar a “máscara” para um ambiente do trabalho; outra coisa é usar, no ambiente do trabalho, uma máscara para disputas de poderes e jogos políticos. Uma coisa é usar a máscara “ideal” num ambiente de negócios, outra coisa bem diferente é usar uma máscara para trapacear numa negociação. Uma coisa é usar uma “fantasia” para de…