Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

Uma oração de Patxi Loide, citada por José María Mardones.

Tu, que brotas dentro de mim
como uma fonte que não nasce de mim,
porém que me molha e me rega.

Tu, que brilhas dentro de mim
como uma luz que eu não acendo,
porém que ilumina minha sala de estar.

Tu, que amas dentro de mim
como uma chama que não é minha fogueira,
porém que põe fogo em todo o meu ser.

Tu, silêncio íntimo,
que não falas,
porém que sem palavras
colocas em minha vida a palavra
que dá vida ao mundo.

Tu, confidente invisível,
diálogo,
companhia permanente,
que me tiras do anonimato das coisas
e me fazes ser eu.